DIA DE VOTAÇÃO

Domingo eu acordei cedo, gosto de acordar cedo, mesmo que não tenho nenhum compromisso, acredito que acordando cedo aproveito melhor o dia.  Só não gosto quando tenho que acordar cedo para fazer aquilo que precisa ser feito porque eu sou obrigado e não porque eu quero. Aliás, quem é que sente prazer em fazer algo só por obrigação? Não conheço ninguém e você? O dever obrigatório é a pedra no meu caminho.

Eu tenho o direito de ir e vir para onde eu quiser certo? Errado. Ao menos esse direito não prevalece no dia da eleição. Coisa triste meu caro, somos iguais ao carrinho de fricção, em dia de eleição, de dois em dois anos, somos friccionados para ir para a direção que nos empurram. E se eu escolhesse ir para outro lugar ao invés de votar, certamente eu teria que justificar a minha falta, assim como o funcionário justifica a sua falta para o patrão. No serviço ou na politica eu teria que ter uma boa justificativa.
Saindo de casa, friccionado por um dever, encontrei um amigo e vizinho que morou na Suíça por seis anos. Estava falando com ele sobre a minha indignação do dever de fazer o que não quero fazer ao invés de simplesmente me abster. Ficar em casa, curtir a família, os amigos. Ele me contou como funciona lá na terra do chocolate. Na Suíça, disse ele, o voto é facultativo. Os suíços vão às urnas no mínimo umas quatro vezes por ano com alto índice de participação do povo. Eles querem participar das decisões importantes de seu país. Essa noticia do meu amigo me deixou com uma interrogação do tamanho do Cristo Redentor, pois, depois dessa conversa com ele resolvi pesquisar os países em que o cidadão não é obrigado a votar. Numa rápida pesquisa verifiquei que em mais de duzentos países no mundo, o voto não é obrigatório, e nos países mais desenvolvidos o voto também não é obrigatório. Fiquei com uma raiva dos políticos brasileiros quando li essas informações, queria até morder a minha orelha, de tanta raiva, mas não consegui. Comecei a pensar com os meus botões, será que vivemos em um país 100% democrático? Achei engraçado que em minha pesquisa descobri que a Suíça dá o exemplo para o mundo há muito tempo, desde o século 13.
Eu não sei quanto a você amigo leitor, mas, acredito que se o voto fosse facultativo em nosso país, a politica iria ser levada mais a sério. Os políticos teriam que nos conquistar para irmos às urnas escolhe-los. O povo entenderia a importância do voto, pois, teríamos que ser ensinados sobre politica, sobre a importância do voto, sobre o que é democracia, além do mais, a democracia no Brasil tem sérios defeitos e o voto obrigatório é um deles.
Muitos brasileiros desinformados não sabem quais são as obrigações de vereadores, prefeitos, deputados, senadores, governadores e presidente, mesmo assim, tem a obrigação de escolhê-los. No caminho dos brasileiros existem muitas pedras para serem removidas.
Finalmente depois de enfrentar o congestionamento eu consegui exercer a minha “liberdade democrática” e fiz a minha escolha.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *