DIA DAS MÃES – HOMENAGEM AS MAMÃES

A maneira que vemos o mundo hoje é diferente do jeito que víamos o mundo ontem. A maneira que olharemos o mundo amanhã será diferente da maneira que o enxergamos hoje. Isso acontece porque tanto o mundo, quanto nós, estamos em constante mudança, às vezes para melhor e às vezes para pior, mas sempre mudamos, e isso afeta a maneira como enxergamos as pessoas, as coisas, o mundo.

Um filho adolescente reclama dos pais porque estes lhe impõe restrições que ele não acha justo. Passados alguns anos, esse mesmo filho, que já não é mais o mesmo, tem outra visão daquilo que lhe ocorreu na adolescência. A sucessão de fatos que ocorreram em sua vida ao longo dos anos, fez com que ele olhasse o mesmo evento que lhe ocorreu na adolescência de uma maneira completamente diferente, na maioria das vezes, essa pessoa tem um olhar mais maduro.
Quando eu era criança, o mundo era diferente, tudo parecia maior, o mundo era um lugar de aventuras e brincadeiras, sem responsabilidades, nem sabia o que era ter responsabilidade ou ser responsável por alguém ou por alguma coisa, o mundo existia da maneira como eu o concebia, olhava-o de dentro da caverna e por isso não o enxergava como ele realmente é.
Assim funcionava também em relação ao meu olhar para as pessoas a minha volta, eu os concebia dentro do meu mundo, dentro da minha cabeça, dentro da minha realidade e assim não via as coisas como elas realmente eram e são.
Quantas vezes eu recebi uma bronca, ou “uns tapas”, de minha mãe e por não compreender os motivos, não concordava. Embora em nossa sociedade pós-moderna há muitas pessoas que não concordam com “os tapinhas”, eu acredito que quem ama disciplina e, ás vezes, é necessário usar a vara da correção, não a vara da punição, não a vara do descontrole, não vara do ódio, não a vara da raiva, mas a vara do amor. Com isso, não quero dizer que concordo com os pais, que descontrolados, usam da força física para castigar os filhos machucando-os e abrindo feridas maiores ainda na pele e na alma. Quem ama corrige e eu sou grato a Deus pelas correções que a minha mãe imputou em minha vida.
Além da correção, que não compreendemos quando somos menores e ainda fazemos um julgamento errado dela devido à falta de maturidade, deixamos de observar tantos outros cuidados que são dispensados com as nossas vidas na infância, e muitas vezes, só conseguiremos ter a noção desses cuidados quando nós passarmos pela mesma fase que os nossos pais passaram quando cuidava de nós, ou seja, cuidando de uma criança.
Ao observar a minha esposa cuidando de nossa filha, vendo a dedicação, o zelo, o amor, tentei me imaginar na infância, quantas noites mal dormidas a minha mãe deve ter passado para cuidar do meu bem estar, para me alimentar, para me acalmar, quantos sustos deve ter levado vendo-me cair ao tentar andar pela primeira vez, vendo-me me machucar pela primeira vez. Quanto deve ter suportado para poder trazer o alimento até mim, para dar a chance de um futuro, do qual eu desfruto hoje.
São simples as minhas palavras, mas é uma homenagem que faço a você que é mãe. Obrigado por você existir, por ter cuidado de mim, por ter me amado, brincado comigo, ter me repreendido, ter me alimentado. Obrigado pelas noites mal dormidas, “nanando-me”, pelas fraldas trocadas, pelos banhos, pelo afeto e pelo carinho. Mãe você é especial! Ser mãe um dom de Deus, uma responsabilidade que Deus dá para algumas mulheres, e algumas mulheres desempenha esse papel com maestria inigualável. Parabéns mamães! Obrigado pela paciência para comigo. Essa é uma homenagem que faço a todas as mamães, em especial a minha mãe Maria e a minha esposa Patrícia, mãe de nossa filha Heloísa.
Três letras, uma palavra, várias emoções!
Mãe é especial, mãe é cuidadora, mãe é protetora;
Durante nove meses nos carregou no ventre,
Durante uma vida nos levará no coração;
Três letras, uma palavra, várias atitudes!
Mãe trabalhadora, mãe educadora, mãe tutora,
Mãe que não dorme, mãe que dorme demais,
Mãe defensora, mãe que encoberta,
Mãe que grita aos quatro cantos, mãe que sofre calada,
Três letras, uma palavra, várias profissões!
Mãe advogada, mãe enfermeira, mãe passadeira,
Mãe Juíza, mãe médica, mãe costureira,
Mãe promotora, mãe fisioterapeuta, mãe faxineira,
Mãe ministra, mãe dentista, mãe dona de casa;
Três letras, uma palavra, várias origens!
Mãe do Norte, mãe do Sul, mãe do Sudeste,
Mãe do Leste, mãe do Oeste, mãe do Centro-Oeste,
Mãe da Ásia, mãe da Oceania, mãe da África,
Mãe da Europa, mãe do Oriente-Médio, mãe da América;
Três letras, uma palavra, vários estilos!
Mãe gorda, mãe baixa, mãe magra, mãe alta,
Mãe negra, mãe branca, mãe amarela, mãe mulata,
Mãe rica, mãe pobre, mãe organizada, mãe desorganizada,
Mãe que chora por tudo, mãe que não chora por nada,
Mãe sossegada, mãe zangada, mãe risonha, mãe fechada,
Parabéns Mãe, mamãe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *