PALAVRA PROFÉTICA OU CONFISSÃO POSITIVA

Mas o profeta que ousar falar em meu nome alguma coisa que não lhe ordenei, ou que falar em nome de outros deuses, terá que ser morto. Mas vocês perguntem a si mesmos: “Como saberemos se uma mensagem não vem do Senhor?” Se o que o profeta proclamar em nome do Senhor não acontecer nem se cumprir, essa mensagem não vem do Senhor. Aquele profeta falou com presunção. Não tenham medo dele. (Deuteronômio 18.20-22)
 

Muitas pessoas da igreja hodierna tem se afastado definitiva e deliberadamente do verdadeiro ensino bíblico. Essas pessoas tem renunciado ao correto ensino das Escrituras, elas estão em busca de seus próprios interesses, querem aquilo que as agradam, querem aquilo lhes trará resultado.
Uma expressão tem ficado, cada dia mais frequente na boca dos evangélicos brasileiros, até mesmo dentro das chamadas igrejas tradicionais, é a expressão “palavra profética”. Dizer: “Eu tenho uma palavra profética para você”, virou moda entre os mais variados grupos evangélicos no Brasil.
Essa expressão tem sido utilizada por líderes evangélicos e até mesmo pelos próprios liderados para designar algum tipo de “boa sorte” para o ouvinte a quem se está falando, e para si mesmo quando esse líder “declara” algum tipo de sorte para si mesmo, eles creem que por terem falado, o que desejam acontecerá, o que proclamaram acontecerá, seja em suas vidas ou para quem eles direcionaram a “palavra profética”.
Os líderes, pastores, educadores, professores de EBD, ministros de louvor, ao fazerem isso, prestam um desserviço para a comunidade evangélica brasileira e também para aqueles que nos observam (os de fora), pois estão confundindo profecia com a teologia da confissão positiva.
O movimento do pensamento positivo ensina que o pensamento de uma pessoa é o fator decisivo em relação às circunstancias, ou seja, se mantivermos o pensamento positivo todas as más influências e circunstâncias negativas serão vencidas. A teologia da confissão positiva é a versão “gospel” do movimento do pensamento positivo, pois ela ensina que o simples fato de confessar positivamente algo em que se crê fará com que o desejo seja realizado, fazendo assim essas pessoas estão substituindo a fé em Deus pela fé em si mesma.
Há algum tempo atrás, outros sinônimos do “eu tenho uma palavra profética para você”, estavam na moda, e ainda estão em muitas igrejas, tais como: “tá decretado”, “o sangue de Cristo tem poder”, tá amarrado”, “eu declaro em nome de Jesus”, etc.
A expressão “eu tenho uma palavra profética para você”, “isso é uma palavra profética”, tem sido usada, muitas vezes, como uma afirmação do que se deseja. A pessoa, ao afirmar o que se deseja, colocando a expressão “palavra profética” na frase, tende a atribuir essa afirmação a uma obrigação de Deus em realizar o que foi declarado, pois, uma vez que ela confessou e declarou a “palavra profética”, ela acha que Deus tem por obrigação fazer com que aconteça o que foi declarado, alguns chamam isso de fé.  Mas não é.
Muito cuidado ao dizer: “eu tenho uma palavra profética para você”, ou “essa é uma palavra profética”, pois ao falarmos algo e declararmos que o que falamos é uma palavra profética, estamos dizendo que Deus disse, e se você disser alguma coisa alegando que Deus disse, sem Deus ter dado a ordem para você falar, você será contado entre os falsos profetas, aquele que fala em nome de Deus sem Deus ter mandado. Ou você assume que é adepto da teologia da confissão positiva, que é totalmente errado, pois é antibíblico, mas pelo menos será sincero, consigo mesmo e com os outros, ou pare de falar que tem uma palavra profética, pois todas as profecias são geradas pelo Espírito de Deus e o profeta é apenas o seu porta voz, nós não estamos autorizado a falarmos o que desejamos declarando ser essa uma palavra profética (do Espirito).
A palavra profética não é anunciar declarações positivistas, mas anunciar o Reino de Deus e a sua justiça, anunciar a Palavra de Deus, ajudando a todo homem chegar à estatura e a medida do varão perfeito, porque “toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra”. (2° Timóteo 3.16-17)
Lembrando-se da orientação de Deus em Deuteronômio 18.20-22, quando alguém chegar para você declarando que tem uma palavra profética ou que falou uma palavra profética, espere, pois, se não cumprir o que a pessoa disse você saberá que é um falso profeta. E você que tem costume de utilizar dessa fraseologia, consciente ou inconsciente, por já estar acostumado, muito cuidado, pois, os falsos profetas não terão participação no Reino de Deus que está para se manifestar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *