A INTOLERÂNCIA DA TOLERÂNCIA – Parte 1

O que é intolerância? O que é tolerância? Será que os brasileiros são um povo tolerante ou intolerante? De acordo com o dicionário Michaelis , Intolerância é a “falta de tolerância”. Já a Tolerância “é o ato ou efeito de tolerar”, por sua vez, tolerar significa “levar com paciência”, “suportar com indulgência”, “condescender com”, mas a partir daqui o dicionário Michaelis já dá outra conotação ao significado da palavra tolerar, vejamos: de acordo com o dicionário Michaelis tolerar é “Condescender com; dissimular certas coisas, sem, no entanto as consentir expressamente, uma vez que não seja lícitas”, o problema aqui fica na primeira parte que diz que tolerar é “condescender com”, o problema é que condescender é concordar, no entanto é possível o sujeito aceitar opiniões contrárias a sua sem com tudo concordar com elas. Pois entre aceitar em que posições contrarias existam e que sejam defendidas por outros e concordar com as posições contrárias como verdade igualmente válidas existe uma diferença significativa. Conforme D.A Carson afirmou “Aceitar a existência de uma posição diferente ou oposta e seu direito de existir é uma coisa, mas aceitar a posição em si significa que a pessoa não mais se opõe a ela”. (D.A. CARSON em A Intolerância da Tolerância, pág. 13) Essa tolerância pós-moderna, chamada por D.A. Carson de a nova tolerância “sugere que aceitar a posição do outro significa crer que essa posição seja verdadeira ou, pelo menos, tão verdadeira quanto sua própria. Mudamos de permitir a livre expressão de opiniões contrárias para aceitar todas as opiniões; saltamos da permissão da articulação de crenças e argumentos dos quais discordamos para a afirmação de que todas as crenças e todos os argumentos são igualmente válidos. Assim passamos da antiga para a nova tolerância”. (D.A. CARSON em A Intolerância da Tolerância, pág. 13) O outro problema fica na segunda parte, pois o que é licito? O que é ilícito? Quem é que define o que é licito e o que não é? Aquilo que é licito ou ilícito é definido por uma verdade universal ou pelo subjetivismo do individuo ou pela estrutura de plausibilidade de uma sociedade? Outros significados que o dicionário Michaelis da para a palavra tolerar é “admitir”, “dar tácito consentimento a”, “assimilar”, “digerir”, “suportar”.

Estamos vivendo em uma era onde a intolerância reina absoluta, disfarçada sob o nome de tolerância. Creio que D.A. Carson acertou em cheio ao abordar essa questão em seu livro “A Intolerância da Tolerância” onde ele aborda com maestria esse assunto, e está correto ao afirmar que a “Intolerância da tolerância não é um contrassenso”.
A tolerância ocupa uma importante posição em nossa cultura pós-moderna. Ela dita as regras, princípios, teorias e conceitos de como a sociedade deve se portar, no entanto, está tolerância não está aberta para diálogos. Quem questiona a tolerância é chamado de intransigente, inconveniente, indelicado e, com isso, faz muitos inimigos.

A tolerância faz parte da estrutura de plausibilidade da sociedade pós-moderna. O que é estrutura de plausibilidade de uma sociedade? As regras, conceitos e teorias que são “determinadas e aceitas”, são os princípios que regem uma sociedade e que as pessoas colocaram como “aceitável” para a sociedade em que vivem, só que fazendo isso eles são intolerantes com aqueles que pensam diferente.

“De acordo com meus conhecimentos, a expressão “estrutura de plausibilidade” foi criada pelo sociólogo Peter L. Berger. Ele usa esse termo para se referir às estruturas de pensamento aceitas por uma cultura específica de forma geral e quase inquestionável. Um dos argumentos dele é que, em culturas fechadas e monolíticas (por exemplo, a japonesa), as estruturas de plausibilidade predominantes podem ser extremamente complexas, isto é, pode haver muitas posições entrelaçadas que são amplamente assumidas e quase nunca questionadas. Em contrapartida, em uma cultura bastante diversificada, como a que predomina em muitas nações do mundo ocidental, as estruturas de plausibilidade são necessariamente mais restritas, pelo fato de haver menos posições sustentadas em comum”. (D.A. CARSON em A Intolerância da Tolerância, pág. 11-12)

Algumas estruturas de plausibilidade que sobrevivem na sociedade moderna são sustentadas com mais determinação, isso por conta das pessoas pensarem que se elas não sobreviverem a sociedade desmoronará. O Argumento de D.A Carson é que a “tolerância, na maior parte do mundo ocidental, faz parte dessa estrutura de plausibilidade restrita, mas tão tenazmente sustentada. Vagar em praça pública e questioná-la de uma ou outra forma não é apenas quixotesco, mas também culturalmente insensível, de mau gosto e grosseiro”. (D.A. CARSON em A Intolerância da Tolerância, pág. 12) Aventurar-se em discordar da tolerância pós-moderna é correr sério risco de ser tachado como intolerante, inconveniente, é correr o risco de ser perseguido, isolado, simplesmente porque essa tolerância pós-moderna é extremamente intolerante, essa é a nossa situação como bem afirmou D.A Carson ao dizer que “a triste realidade é que essa nova tolerância contemporânea é inerentemente intolerante”. (D.A. CARSON em A Intolerância da Tolerância, pág. 12)

Ao fazer essa afirmação, Carson, enumera as características dessa intolerância da Tolerância e mostra vários exemplos que ocorreram nos Estados Unidos e em outras partes do mundo. Colocarei alguns exemplos brasileiros dessa Intolerância da Tolerância que aconteceu e acontece no Brasil. Mas antes vamos explorar um pouco das características da tolerância pós-moderna.
De acordo com D.A. Carson as Características da tolerância contemporânea são: 1) “Não reconhece as suas próprias falhas”, e ao fazer isso ela coloca-se como perfeita frente às outras cosmovisões gerando uma atitude de dominação sobre outras opiniões; 2) “Possui uma atitude de superioridade moral”, quem contraria a tolerância contemporânea é tachado de imoral, intransigente; 3) “Não pode ser questionada”, uma vez que ela não reconhece falhas e se põe acima de todas as cosmovisões, ela não tem porque ser discutida; 4) É socialmente perigosa, pois inibi o diálogo, assim não pode ser corrigida, e impõe sua cosmovisão sobre as outras, muitas vezes através da violência; 5) Intelectualmente debilitante, o sujeito fica restrito a um pensamento, mesmo que esse pensamento seja por si só contraditório.
A tolerância da pós-modernidade é intolerante e limitada, e não tolerante e ilimitada. As definições dos dicionários mostram um pequena variação nas formas antigas e mais contemporâneas, no entanto o significado difere muito entre um e outro, pois entre um dicionário antigo, citado D.A Carson (na versão inglesa), e os dicionários contemporâneos, existem diferenças significativas nas definições da palavra tolerar.

O que é uma pessoa tolerante? ““Ela é uma pessoa muito tolerante”. Isso significa que essa pessoa convive com várias opiniões das quais discorda ou que ela acha que todas as opiniões são igualmente válidas?” (D.A. CARSON em A Intolerância da Tolerância, pág. 14) Utilizando exemplos dessa afirmação de D.A Carson fica assim: O politico do partido A é muito tolerante! Essa afirmação quer dizer que o politico do partido A convive, numa boa, sem com tudo concordar, com as opiniões de outros indivíduos de partidos de B a Z, ou quer dizer que o politico A concorda que as crenças dos outros partidos, seus métodos, teorias e princípios são igualmente válidos? Alguém pode dizer que determinado evangélico é tolerante. Isso quer dizer que esse evangélico afirma que as outras religiões tem o direito de existir ou ele está afirmando que todas as religiões são igualmente válidas? “Uma pessoa afirma: “Vocês, cristãos, são muito intolerantes”. Isso quer dizer que os cristãos gostariam que todas as posições contrárias ao cristianismo fossem eliminadas ou que os cristãos insistem em afirmar que Jesus é o único caminho para Deus?” (D.A. CARSON em A Intolerância da Tolerância, pág. 14). Ser tolerante é concordar com as afirmações da estrutura de plausibilidade de uma sociedade dizendo que elas são válidas ou é permitir que outras opiniões contrárias existam sem, com tudo, concordar com elas? O que é ser intolerante? Aceitar que a outra opinião exista sem concordar com ela ou Não aceitar que a outra opinião exista porque você não concorda com ela.
Vimos nesse primeiro momento que de acordo com D.A Carson existem dois significados para a palavra tolera, o antigo significado e o significado contemporâneo. No antigo significado tolerar significa aceitar as opiniões, métodos, religiões contrárias a que você acredita e defende, no entanto essa aceitação não significa que você concorda que as outras opiniões, métodos, religiões são igualmente válidas, essa é a tolerância contemporânea, ou como D.A Carson chama a nova tolerância.

(Continua no próximo artigo)

Extraído de: http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=tolerar – em 02-06-2016.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *