CONTENTAMENTO DESCONTENTE

Aprendi na vida viver contente

Mesmo em meio à luta ardente

Ainda que o amado da minh’alma ausente

Apesar da angústia efervescente

 

É um contentamento descontente

Anseio do dia que brilhará fortemente

Terei que carregar o peso até lá, arduamente

Quero encontra-lo, admirá-lo, demoradamente

 

Quando em fim, meus olhos contemplar sua beleza

E a morte eu tiver superado com toda a sua torpeza

A noite terá ido embora, a luz mais forte que sol, brilhará

 

Então, junto com um mar de alegrias e certezas

Toda dor, miséria, pobreza, toda lagrima secará

Os meus olhos verão, minhas mãos tocarão, tua alegria

Jesus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *