O HOMEM NATURAL DIANTE DE DEUS

Diante de Deus sou completamente desmascarado, sou revelado

Minha vivacidade é  baboquice

Minha energia é languidez

Meu vigor é esgotamento

Minha força é fraqueza

Minha animação é depressão

Minha impetuosidade é apatia

Minha veemência é frouxidão

Minha exuberância é ruina

Minha intensidade é timidez

Minha expressividade é silencio

Meu fulgor é inércia

Minha atividade é quietação

Minha potência é impotência

Minha sagacidade é idiotice

Minha perspicácia é obstusidade

Minha inteligência é desconhecimento

Minha esperteza é disparate

Minha astucia é ingenuidade

Minha agilidade é morosidade

Meu brilho é escuridão

Minha destreza é inabilidade

Meu altruísmo é amor próprio

Meu sacrifico é aprazimento

Meu despego é ciúme

Minha beneficência é descaridade

Minha renuncia é pirronice

Minha abnegação é ambição

Minha amizade é inimizade

Minha afeição é animosidade

Minha estima é zombaria

Meu apreço é desamor

Meu afeto é aversão

Meu amor é ódio

Minha ternura é negrura

Minha camaradagem é guerra

Meu companheirismo é rivalidade

Minha afinidade é incompatibilidade

Meu acordo é litígio

Minha aliança é emulação

Meu pacto é desunião

Minha paixão é frieza

Minha adoração é blasfêmia

Meu culto é irreverência

Minha devoção é impiedade

Meu entusiasmo é austeridade

Meu respeito é desobediência

Minha autenticidade é fingimento

Minha realidade é imaginação

Minha verdade é mentira

Minha veracidade é sofisma

Minha fidelidade é inconstância

Minha genuinidade é aparência

Minha espontaneidade é disfarce

Minha hombridade é safadezas

Minha perseverança é cessão

Minha dignidade é infâmia

Minha gentileza é grosseria

Minha delicadeza é brutalidade

Minha nobreza é ultraje

Minha dignidade é depravação

Minha justiça é iniquidade

Meu favor é obrigação

Minha paciência é ansiedade

Minha superioridade é nada

Minha paz é guerra

Minha benignidade é pecado

Meus atos de bondade são trapos de imundícia

Minha amabilidade é insensibilidade

Minha mansidão é desumanidade

Minha fidelidade é traição

Meu decoro é imoralidade

Minha pureza é impureza

Minha honra é desonra

Minha moralidade é libertinagem

Meu desejo é idolatria

Meu altruísmo é cobiça

Minha legalidade é mandinga

Meu livramento é condenação

Minha ascensão é ruína

Minha glória é o inferno

Minha salvação é danação

Meu descanso é extenuação

Meu afeto é ódio

Meu sim é discórdia

Meu zelo é omissão

Minha brandura é ira

Minha caridade é egoísmo

Minha associação é facção

Minha concordância é dissensão

Minha lucidez é embriagues

Minha convicção é dúvida

Minha fé é hesitação

Minha certeza é interrogação

Minha cooperação é indolência

Minha ajuda é oposição

Minha contribuição é desamparo

Minha solidariedade é impassibilidade

Minha cordialidade é hipocrisia

Minha oferta é insulto

Diante de Deus minha feiura é desmascarada – ela é feiura

Diante de Deus minha força é desacreditada – ela é fraqueza

Diante de Deus minha sabedoria é escrachada – ela é estupidez

Diante de Deus minha visão é cegueira

Diante de Deus eu nada sou

Sou humano, sou fraco, sou necessitado

Sou um poço de desejo, sou garganta

Sou inimigo derrotado

Estou condenado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *