NOÉ – A FÉ QUE SE AJUSTA A REVELAÇÃO DE DEUS

Olá! Estamos de volta, depois de uma longa pausa, para dar continuidade aos nossos estudos.

Hoje voltamos à série sobre a Fé. O que é Fé? Ao longo dos estudos no capítulo 11 de Hebreus temos tentado compreender e responder esta pergunta, pois existe muita confusão, mesmo em grande parte dos evangélicos, sobre o que é fé, e com isso, vem as bizarrices e também, muitas vezes, a culpa por não ter alcançado determinada benção por não ter tido “fé”. Por isso, precisamos olhar para a Bíblia, pois ela é a nossa regra de fé e prática, é dela que temos que tirar o entendimento do próprio conceito de fé conforme o autor da Bíblia e da nossa fé – Jesus Cristo, pois o conceito bíblico de fé difere muito das religiões e do entendimento popular sobre este assunto. Voltemos a Bíblia, voltemos ao evangelho, pois só assim poderemos entender o que é fé e como agradar a Deus, “pois sem fé é impossível agradar a Deus…” (Hebreus 11.6).

Depois de falar da fé que recebe aprovação de Deus – a fé de Abel, e também da fé que agrada a Deus – a fé de Enoque, o autor da carta aos Hebreus nos apresenta o terceiro exemplo de fé conforme ele a definiu no versículo um. Chegou à vez de conhecermos a fé bíblica através do exemplo de Noé.

Pela fé Noé, quando avisado a respeito de coisas que ainda não se viam, movido por santo temor, construiu uma Arca para salvar a sua família. Por meio da fé ele condenou o mundo e tornou-se herdeiro da justiça que é segundo a fé. (Hebreus 11.7)

Note a semelhança do começo desse versículo com a definição de fé em Hebreus 11.1: Continuar lendo

AS MARCAS DO VERDADEIRO ARREPENDIMENTO

Vejam o que esta tristeza segundo Deus produziu em vocês: que dedicação, que desculpas, que indignação, que temor, que saudade, que preocupação, que desejo de ver a justiça feita! Em tudo vocês se mostraram inocentes a esse respeito. (2º Coríntios 7.10)
Paulo havia escrito uma carta para a igreja de corinto (2º Coríntios 2.4), carta esta que tinha levado ele ao arrependimento, pois nessa carta que havia escrito, ele tinha entristecido os coríntios, combatendo aquilo que havia de errado naquela igreja – todo o pecado conhecido. Entre o envio da carta e a resposta dos cristãos da igreja de corinto, Paulo se arrependeu, pois sabia que, a carta à igreja de corinto, havia entristecido eles, entretanto, com a resposta vinda da igreja de corinto, Paulo disse: “É verdade que a princípio me arrependi, pois percebi que a minha carta os entristeceu, ainda que por pouco tempo. Agora, porém, me alegro, não porque vocês foram entristecidos, mas porque a tristeza os levou ao arrependimento”. (2º Coríntios 7:8-9) Embora o próprio Paulo tenha ficado aflito e até mesmo se arrependido pelo entristecimento da igreja de corinto, agora com os resultados, não há mais arrependimento, mas sim alegria, pois Deus havia usado a carta do Apóstolo Paulo e tinha entristecido a igreja de corinto de forma que toda igreja se arrependeu de seus pecados. Continuar lendo

A INTOLERÂNCIA DA TOLERÂNCIA – Parte 2

Ser tolerante, aceitar opiniões das quais discorda sem, com tudo, concordar com essas opiniões, é uma marca do cristianismo que durará até a volta de Cristo. Olhemos para Deus, veja quantas coisas reveladas nas Escrituras que Ele discorda, mas que, no entanto tolera. E esse “tolerar de Deus” não significa que ele aceita todas as outras opiniões contrarias a sua vontade como se fossem igualmente validas, mas essa tolerância de Deus significa que, mesmo Deus discordando de outras opiniões existentes contrárias a sua vontade, ele permite que essas opiniões contrárias existam até o tempo determinado por Ele. Deus é tolerante com os sistemas contrastantes de pensamentos, até mesmo com aqueles que são contrários sobre o próprio Deus. No entanto, essa tolerância não é considerada como uma virtude, pois caso os seres humanos não se arrependam de seus pecados, eles perecerão. Deus está sendo tolerante a fim de levar pessoas ao arrependimento (Romanos 2.4). Continuar lendo

ENOQUE – A FÉ QUE AGRADA A DEUS

Mais de 500 anos já haviam se passado sobre a Terra desde a queda do ser humano, quando Adão desobedeceu a Deus no Jardim do Éden e a morte entrou no mundo. Durante esse tempo, certamente muitos haviam experimentado a morte física, Abel foi um desses que a experimentou, e de forma violenta ao ser assassinado por seu irmão. Se levarmos em conta o tempo desde a queda até o dilúvio, que é de no mínimo 1500 anos, muito mais mortes entrarão nessa lista, de fato, no diluvio toda a raça humana, com exceção de Noé e sua família, experimentaram a morte física. No entanto, um personagem, dentre todos estes, escapou da morte, ele foi o primeiro homem depois da queda de Adão e Eva que não morreu, pois ele foi arrebatado e não experimentou a morte, ele foi o sétimo depois de Adão e bisavô de Noé, seu nome era Enoque. Continuar lendo