AS MARCAS DO VERDADEIRO ARREPENDIMENTO

Vejam o que esta tristeza segundo Deus produziu em vocês: que dedicação, que desculpas, que indignação, que temor, que saudade, que preocupação, que desejo de ver a justiça feita! Em tudo vocês se mostraram inocentes a esse respeito. (2º Coríntios 7.10)
Paulo havia escrito uma carta para a igreja de corinto (2º Coríntios 2.4), carta esta que tinha levado ele ao arrependimento, pois nessa carta que havia escrito, ele tinha entristecido os coríntios, combatendo aquilo que havia de errado naquela igreja – todo o pecado conhecido. Entre o envio da carta e a resposta dos cristãos da igreja de corinto, Paulo se arrependeu, pois sabia que, a carta à igreja de corinto, havia entristecido eles, entretanto, com a resposta vinda da igreja de corinto, Paulo disse: “É verdade que a princípio me arrependi, pois percebi que a minha carta os entristeceu, ainda que por pouco tempo. Agora, porém, me alegro, não porque vocês foram entristecidos, mas porque a tristeza os levou ao arrependimento”. (2º Coríntios 7:8-9) Embora o próprio Paulo tenha ficado aflito e até mesmo se arrependido pelo entristecimento da igreja de corinto, agora com os resultados, não há mais arrependimento, mas sim alegria, pois Deus havia usado a carta do Apóstolo Paulo e tinha entristecido a igreja de corinto de forma que toda igreja se arrependeu de seus pecados. Continuar lendo

A Tristeza segundo o mundo na vida de Judas e a Tristeza segundo Deus na vida de Pedro

A tristeza segundo Deus produz um arrependimento que leva à salvação e não remorso, mas a tristeza segundo o mundo produz morte. 2º Coríntios 7:9
Pedro já havia sido avisado, mas ele não acreditou. Pensou que fosse um herói, que salvaria seu mestre ou até mesmo que morreria junto com ele, se isso fosse preciso (Lucas 22.31-34), mas isso não aconteceu, ele estava enganado e o seu engano logo se tornou público, ele não aguentou a pressão – Pedro negou Jesus. Continuar lendo