O QUE É AMAR O PRÓXIMO COMO A SI MESMO?

“Ele respondeu: Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento e Ame o seu próximo como a si mesmo”. (Lucas 10.27)
Nós vivemos em uma época onde os valores estão invertidos, vivemos em uma época onde o que é certo está, constantemente, sendo subvertido em nome do prazer, em nome da autoestima. Buscar o prazer, buscar a própria felicidade, está acima de todas as outras coisas, este é o quadro da nossa sociedade, até mesmo de muitos que professam o cristianismo. E como o espirito de nossa época está na contra mão de Deus e na mão do mundo, o maior pecado não é mais o fracasso em honrar e agradecer a Deus, mas o fracasso em amar a Si mesmo. Rebaixar a Si mesmo, não rebaixar a Deus, é o mal. E o grito de libertação não é: ‘Miserável homem que sou, quem me libertará? ’ mas: ‘Grande homem que sou, gostaria de ver isso melhor’!” (PIPER, 2003, pág. 173).  

CONTINUE LENDO >>>

BEM-AVENTURADO OS POBRES DE ESPÍRITO

Bem-aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus. (Mateus 5.3)
Todo o conjunto de ensinos do Sermão do Monte em Mateus descreve aquilo que os discípulos, súditos do Reino de Cristo, devem ser. O sermão do monte fala do ideal a ser buscado, do padrão a ser perseguido pelos cristãos. Em Mateus encontramos o padrão de justiça cristã que precisa ser perseguido.  Deus exige dos seus discípulos aquilo que Ele mesmo os capacitou para fazer. A primeira bem-aventurança nesse sermão mostra-nos claramente que essa escalada não é possível ser feita sem ajuda, não é possível ser feita sem uma transformação em nossa vida. Essa escalada não é para o homem natural, pois ele jamais poderá alcançar o ideal do sermão do monte, essa escalada são para os discípulos de Jesus Cristo, são para aqueles que foram regenerados e que em tudo buscam satisfazer ao seu Rei.

CONTINUE LENDO >>>

NÃO JULGUEIS PARA QUE NÃO SEJAIS JULGADOS

“Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês”.(Mateus 7.1-2)
            Jesus está nos ensinando nessa passagem que é proibido fazer qualquer tipo de julgamento? Será que o simples fato de não exercermos julgamento será levado em conta para que não sejamos julgados?
            As palavras de Jesus Cristo em Mateus 7.1 “Não julgueis para que não sejais julgados” é uma das declarações que Jesus fez que é mais mal entendida e erroneamente citada. Sempre que o sujeito A quer impedir críticas do sujeito B, sobre atitudes, sobre estilo de vida de dele, sobre ações que não correspondem com o andar de acordo com a vontade de Deus, sobre ensinos que não são encontrados na Palavra de Deus. Essas oposições contrárias a crítica que foi feita, muitas vezes são encontradas na ordem: “Não julgueis para que não sejais julgados”.  Essa frase é utilizada, amplamente, para coibir qualquer atitude de critica que é feito sobre as ações das pessoas, sobre as falas das pessoas, sobre os ensinamentos das pessoas, sobre as atitudes das pessoas, sobre o estilo de vida das pessoas, mesmo que sejam atitudes que desonram a Deus e a sua Palavra. Mas será que é exatamente isso que Jesus está ensinando nessa passagem?

CONTINUE LENDO >>>

SUPRIMINDO A VERDADE

Portanto, a ira de Deus é revelada do céu contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela injustiça, pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. (Romanos 1.18-19)
Ninguém pode apreciar corretamente uma boa noticia quando pensa que se está tudo bem consigo mesmo, quando imagina que sua vida está legal e que não tem necessidade de nada. Ninguém pode apreciar uma boa noticia adequadamente quando pensa que esta em paz com Deus. Quando estamos em uma situação ruim apreciamos corretamente a boa noticia, quando reconhecemos que a nossa situação é bastante complicada e que a noticia boa vem resolver esse problema, nós a apreciamos corretamente.

CONTINUE LENDO >>>

A JOIA DE GRANDE VALOR

“O Reino dos céus também é como um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo o que tinha e a comprou”. (Mateus 13.45-46)
Você sabe como uma pérola é formada? Um pouquinho de areia ou microrganismos (vermes) adentra na concha fazendo com que essa situação torne-se extremamente irritante para a concha, causando-lhe grande sofrimento, esses microrganismos ou areias tornam-se uma intrusão irritante. A concha como não pode expulsar o intruso (não tem capacidade), aciona o seu mecanismo de defesa e começa a produzir uma secreção leitosa que vai cobrindo camada após camada o intruso até que a irritação torna-se suave, redonda e aceitável, uma gema preciosa.

CONTINUE LENDO >>>