A ORAÇÃO DO PAI NOSSO – A ORAÇÃO MODELO – PARTE 02

PAI NOSSO QUE ESTÁS NOS CÉUS

A primeira parte da oração modelo – conhecida historicamente como a oração do Pai Nosso – é uma invocação. Invocação esta que tem muito a nos ensinar a quem nos dirigimos na oração.
Deus como Pai não é um tema central do Antigo Testamento, embora encontremos passagens no Antigo Testamento em que Deus é chamado de Pai, geralmente esse tratamento é feito em forma de analogia (cf. Deuteronômio 32.6; Salmos 103.13; Isaías 63.16; Malaquias 2.10). Somente após a vinda de Jesus Cristo, e consequentemente o seu ensinamento, é que tratar Deus como Pai torna-se característica da comunidade da fé, atualmente, no Brasil, esse termo em relação a Deus é também utilizado, equivocadamente, por pessoas que professam outra religião, até mesmo por alguns que não professam religião alguma. Precisamos reforçar, assim como foi falado no primeiro artigo, que a oração do Pai Nosso, destina-se exclusivamente para a comunidade da fé em Jesus Cristo, ou seja, são para os filhos de Deus que adquiriram esse direito por meio da fé em Jesus Cristo conforme o ensinamento de João em seu evangelho no capítulo um, versículo doze. Continuar lendo

A ORAÇÃO DO PAI NOSSO – A ORAÇÃO MODELO – INTRODUÇÃO

Mateus 6.9-13

“Vocês, orem assim:

“Pai nosso, que estás nos céus!

Santificado seja o teu nome.

10 Venha o teu Reino;

seja feita a tua vontade,

assim na terra como no céu.

11 Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia.

12 Perdoa as nossas dívidas,

assim como perdoamos aos nossos devedores.

13 E não nos deixes cair em tentação,

mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém.”

A oração do Pai Nosso é uma oração que nos foi dada por Jesus Cristo a fim de ilustrar, modelar a nossa própria oração ao Pai que está nos céus. Não foi dada como uma oração para ser utilizada liturgicamente, embora alguns estudiosos creem que tenha sido utilizado dessa forma no começo do segundo século, nem mesmo para ser usada como uma vã repetição, sem entender o que ela nos ensina pedir. Ela segue o mesmo modelo dos dez mandamentos, pois está dividida em duas partes, na primeira parte estão às petições que se referem a Deus e a nossas responsabilidades para com ele; na segunda parte estão às petições que se referem as nossas necessidades, minhas e dos meus irmãos em Cristo, necessidades estas físicas e espirituais. Continuar lendo